30 maio 2014

Videoteca Canina

Lembram da Videoteca de Auto-Escola? Naquela época estava quase surtando por causa da prova prática que só lembrava de clipes que tinham carros. Se eu estava na deprê, Videoteca da Depressão. Vocês tem 5 segundos para chutarem mentalmente o que aconteceu comigo terça-feira.
 Sim, amados, Lolita me mordeu. Quem é Lolita? (A individua ainda tem o nome parecido com o meu, olha só!) Ela é fofa. Ela é obediente. Ela é meiga. Mas, anotem a dica, nunca tentem segurar uma cachorra que está estressada, você vai terminar com a marca dos dentes dela no seu pulso. Dica besta, né? Acho que todo mundo sensato sabe disso, mas a criatura aqui, em questão, não imaginava isso! E pode se dizer que eu passei por uma especie de fases do modelo de Kübler-Ross:
Negação: "Não acredito que ela me mordeu!"
Raiva: "Sou uma idiota de tentar segurar o cachorro dos outros, enquanto esta (cachorra) está estressada. Burra!"
Barganha: "Pelo menos ela é vacinada, imagina se não..."
Depressão: "Isso doí pra caraca!"
Aceitação: "Isso já aconteceu, ou vai acontecer com todo mundo."

Não tinha noção como doía um dentinho no meu braço. Sério, terça eu não conseguia nem mexer os dedos direito. Mas agora já estou bem melhor (já ficou inchado, já ficou roxo, mas agora está cicatrizando, ufa!) e esse episodio de minha vida me deu uma ideia para a videoteca. Sem traumas, a videoteca de hoje são na temática canina. Conhece algum clipe? Separei alguns muito bons!


Até quando a história de um casal é diferente de uma história de um casalzinho de cachorrinhos?


Um cachorro fanfarão sonha com gatos estranhos, carteiros dançarinos, gatas "humanas", bifes gigantes e outras coisas. Um clipe bem humorado bem estilo Fall Out Boy.


Ok Go tem se tornado um clássico nas Videotecas. Afinal com cada clipe incríveis deles! Esse, por exemplo, tem a presença de cachorrinhos super educadinhos e obedientes que participam em uma coreografia super elaborada.


E se eles salvasse o mundo no estilo Vingadores de ser? Esse do clipe andam em grupo e ajudam pessoas. Um dos clipes mais legal/bonitinho/bem feito que já vi. 


Lembrou de mais algum? Nos diga por favor nos comentários. Espero que tenham gostado!

28 maio 2014

Spotify no Brasil, enfim meu jovem!



É meu jovem, hoje é o dia que enfim o Spotify chega (finalmente) oficialmente ao Brasil. Agora não precisa mais de fazer aqueles processos complicados para "burlar" o uso em um país que não estava oficialmente no serviço (Shhhhh! Ninguém sabia disso!) ou de convite para usar o serviço (convite: isso é tão Orkut, né? hehe) O Spotify é um dos maiores serviços de streaming de música do mundo. E enfim, nós brasileiros, poderemos usa-lo. Com cerca de 30 milhões de músicas à nossa disposição, tudo "em nuvens".


"Não preciso mais baixar zilhões de músicas e entupir a memória do meu computador!"

Existe tanto o plano gratiiixxx, porém, ele tem uns anúncios entre as músicas. Já o pago (5,99 doláres) você pode usar sem esses pequenos incômodos. Nos dois planos, é possível ouvir músicas de modo ilimitado.

Além de poder escolher que música especifica você quer ouvir ou um um álbum na integra ou todas de uma banda, você pode procurar playlist. Por exemplo:  pesquisei "indie" e entre as playlists estava essa que eu amei. Por quê? Porque além de músicas que eu amo, tem outras que amei conhecer! E Let Me In me perseguindo em todos os lugares que estou na internet! Só porque estou viciada nessa música desde mês passado e quando eu esqueço dela, ela aparece de novo! *-*

Há também a opção de explorar. Eles vê o que você ouve e procuram o que você pode vim à gostar. E no meu caso, eles acertaram! Eu ainda não tinha ouvido nem Young The Giant, nem Snow Patrol pelo Spotify, e eles me recomendaram as bandas! *-* Eu sei Spotify, eu e YTG temos uma relação tão em alta, que chega à ser uma relação amorosa. Obrigada! hehe

E por ultimo, algo simples e maravilhoso, tem conectividade com o Last.Fm. Ai que emoção! Aplausos!
E resisti à não colocar o gif da Gaga. Aplausos para mim!


20 maio 2014

Bons moços na música




Eles escrevem músicas doces que ficam na sua cabeça. Boa parte tiveram poucas namoradas e hoje vivem em um casamento que parece ser normal como de qualquer pessoa normal. Eles não dão ataques de celebridades. Não tem muitos escândalos em sua história. Muita gente pega no pé deles por causa da fama de bonzinhos. A maioria tem rostinho de príncipes. Eles são os bons moços na música. Alex Turner versão 2.0, aqui você não entra.


Coldplay

Talvez os mais conhecidos na lista. Fazendo sucesso com músicas como Yellow, Fix You ou a mais recente Ink (o mais recente amor entre as músicas da banda), sempre foi presente o jeito fofo de falar de amor. Own!

Não se tem noticias de "pisadas de bola" dos membros da banda. A mais recente noticia de vida pessoal deles foi a separação de Chris Martin e Gwyneth Paltrow, que foi tranquila e como eles disserem, hoje permanecem sendo bons amigos (Parece que estão tão bem que até fazerem uma mini-viagem fizeram juntos.)


James Blunt

Quem não lembra de You're Beautiful? James Blunt é dono dessa e de outras músicas cheias de romantismo. O cantor que antes chegou até ser capitão, vez após vezes lança músicas fofas, para ficar na fossa lembrar de alguém que gosta. Além do que falam que o rapaz é super educado.



John Mayer

Ok que este moço andou um tempo do Lado Negro da Força (falou demais por aí e rolou algumas tretas), mas pularemos essa fase. 
Dreaming With a Broken Heart e Who You Love são exemplos de músicas que foram temas de muitos casaizinhos, ou, repetindo, de muitas fossas. 


Keane

Lembra de Somewhere Only We Know? De longe, o maior hit da banda e também uma das provas que a banda sempre flerta com músicas de letras românticas. E como os próprios já disseram, eles não tem medo de soarem bregas. Se eles são românticos incorrigíveis assumidos, quem somos nós para criticar?



Mas, vai, assume, você já se sentiu atraída por Somewhere Only We Know!


Michael Bublé


Olha só a carinha de bom moço! Analisa! Desde a música Home, ele vem sendo o queridinho da galerinha que gosta de um pop melosinho (não falo de modo pejorativo, tanto que não é que eu me categorizo nesta turma). Através de suas músicas, podemos conhecer um pouco da vida dele. Hoje ele é casado e tem um filhinho, ou seja, literalmente um pai de família. Own!

A atriz do clipe é a atual esposa (na época, namorada) de Bublé. E a música foi escrita inspirado nela (É o que dizem). Não falo que é muita fofura!

A ideia deste post surgiu através desse clipe/música à qual sou extremamente apaixonada desde 2009. Se você tiver preguiça de ver os outros, assista pelo menos esse. E entenda o que passou na cabecinha desta pessoa à qual escreve-o. 
E também tem um pequeno detalhe, ele estará fazendo show aqui no Brasil em setembro! #EuQueroIr

Phillip Phillips

O mais novinho e de carreira mais recente dentre os citados da lista. Atualmente, aos 23 anos, a mocinho já tem uma vitória no American Idol e um Rock in Rio na bagagem, entre outras coisas. Fazendo uma comparação, não gostando de tal, mas fazendo, hoje ele é o que era o John Mayer em 2002. Carinha de bom moço, melodias gostosas de se ouvir, letras doces.


E não se engane que ele será totalmente o próximo John Mayer, conforme dito em uma entrevista, ele nem quer e nem pode ser um bad boy. Segundo ele, sua família não deixaria.


Menção honrosa - Brandon Flowers


Ok, que ele já falou mal de muita gente, mas hoje ele é papai e é como um bom pai de família. Ele sempre fala de sua esposa e de seus filhos, da importância deles em sua vida. Brandon nunca tinha travas na língua, mas não fazia o estilo pegador. Tanto é que Tana, sua esposa, foi sua namorada de adolescência. Ele não quer mais ser barraqueiro e em até uma música ele colocou um "pedido de perdão" à uma banda. É isso mesmo Brandinho!

A partir do 2:40 do vídeo


Qual desses mocinhos você mais gosta? Não citei algum que você gosta? Diga nos comentários. =)

09 maio 2014

Isso não te faz uma escrava da beleza!

Muito nesse post se refere à mocinhas por ser um experiencia pessoal, mas também serve para você, moço. É apenas um desabafo!


Sabe quando a menina de seus 11 anos entra na fase de se arrumar extremamente, que as vezes passa bem do limite do bonito? Elas fazem isso porque acham que assim os outros vão achá-las bonitas. Na verdade acontece o contrario, mas não ria, você passou por essa fase também! hehe O bom é que todo pokémon evolui.

O que quero dizer com essa historia toda é que essa fase que as meninas tem aos seus 11 anos, eu não tive. E não, eu não pulei essa fase porque eu era uma menina super entendida de beleza. Pelo a contrário, eu nunca entendi nada de moda e pouquíssimo de padrões de beleza (isso até hoje). Acho que só fui dar atenção na minha aparência como se fosse uma mocinha de uns 15 anos pra cima.

Todos me conhecem assim: desencanada com padrões de beleza. Em raros momentos de minha vida estive na faixa saudável de peso. Não tinha das roupas mais lindas da turma. Não cortava o cabelo segundo à moda. Sempre fui a favor do "razoável e confortável" do que o "glamour e sofrimento". Tanto é que me formei no Ensino Médio de sapatilha (Observação 1: fui uma das que mais dancei na festa e estava com o meu pé perfeito para utilização no dia seguinte) (Observação 2: Isso porque eu não cumpri o que tinha prometi no 1º ano, que iria me formar de All Star)



Até que um dia decidi que não tinha como mais fugir da academia (fugir por causa da preguiça). Quando entrei a reação de muitos amigos foram: "Talita? Na academia? Como assim?", "Está virando mentidinha agora, hein?", "Você mudou mesmo, hein, Talita, decidiu até entrar na academia", "Queria te ver como é você na academia?".

Como sou na academia? Normal como todo mundo, meu bem! De calça legging, correndo como uma desesperada na esteira, pegando peso, pulando como se não tivesse amanhã no jump - normal como todo mundo! Não é porque entrei na academia que virei a musa do verão, que uso legging o dia inteiro, que só sei conversar sobre dietas e só posto fotos no Instagram da minha evolução muscular, de como estou bombadona (se bem que estou quase uma Gracyanne Barbosa, mas não quero deixar ninguém com inveja hehe).


A questão é: eu não mudei quem eu sou por causa da academia. Continuo a mesma garota que gosta de comer besteira, que ama passar o dia inteiro na internet e que gosta de videogame. Confesso que não sou das mais populares da academia, afinal, não conheço nada de suplementos alimentares e nem das melhores roupas de academia. Porém, para você que acha que na academia só tem pessoas assim, está enganado. Por exemplo, fiz amizade com uma garota que ama ler séries de livro (e não, não é 50 Tons de Cinza. Um dos favoritos dela é Resident Evil). Uma das professoras curte rock. E outra coisa, existe fone de ouvido: coloque suas músicas favoritas para ouvir e seja feliz!

Infelizmente existe um conceito comprado por todos de que está na academia é dar importância ao corpo mais do que tudo, que se vai para academia é porque quer ficar com um corpão de deusa grega e só vai usar roupa para exibir a nova condição. Ok, que no primeiro mês que comecei à academia me senti deslocada. Mas depois descobri que muito era da minha cabeça e o que muitas pessoas criticam em algumas mulheres, por exemplo, é o amor próprio (que se algumas delas seja em excesso), mas em uma certa medida faz bem. Afinal, você pode pesar 100 quilos e se achar incrível, fazendo ou não academia. E pode acontecer de meninas de manequim 36 se sentirem horrorosas.


Ah, observação, se você não se sente bem em academia mega lotadas, no caso de mulheres, existe academias somente para mulheres. Faço em uma assim.

Não quero estar malhadíssima, quero manter uma vida saudável à medida do possível. Sei que meu biotipo não é para um número 36/38 de calça. Não quero lutar por algo que para mim não é natural. Mas também quero estar em condição de poder brincar com meu priminho de 4 anos sem precisar quase morrer de cansaço nos primeiros minutos. Não quero perder muitos quilos em um mês, mas também quero poder comer uma pizza com amigos no final de semana e não ficar me culpando. (Quem não tem facilidade de engordar não sabe como é ruim engordar mais de um quilo só em alguns dias!) 


Três vezes por semana, uma hora e meia cada. Isso não me faz mudar minha personalidade, que eu me torne uma obcecada pelo corpo, que eu não tenha outro assunto do que beleza e que eu me transforme em uma saradona. Mas isso me faz mais disposta, mais saudável e com a mente mais aberta. Ok se você não quer seguir um padrão de beleza, mas também não siga um conceito pré-formado.


04 maio 2014

A vida de um seriemaníaco mais organizada


Eu sei que How I Met Your Mother já acabou, mas 1.minha ficha ainda não caiu totalmente e 2. essa imagem é linda/fofa/apaixonante demais!

Quem acompanha mais de uma série sabe como as vezes dá para ser perder entre datas de exibição, números de episodio e hiatus. Há quem também gosta de assistir séries novas para descobrir algo de novo e bom. O problema é que em meio desse caos, acaba que nossa rotina de assistir algumas séries acaba sendo bagunçada. Eu sou mestre em desorganização e também uma apaixonada por séries. Ou seja, como lidar?

Para tentar ser mais organizada e assim ser bem sucedida em acompanhar as séries, uso algumas "ferramentas" para me auxiliar. Resolvi separar três dessas que me ajudam mais.

Banco de Séries

Fazendo o seu cadastro no site, você pode selecionar as séries que você assiste, marcar os episódios que já assistiu, dar notas e fazer comentários. Assim, ele te avisa quais séries você possa vim à gostar através das que você já assiste. Também te mostra quais são as que você está atrasado. Além de ser possível adicionar amigos que também tenham o cadastro no site.

Episode Calendar

Funciona mais ou menos do estilo do Banco de Séries, porém o ponto mais forte desse site é que ele cria um calendário com os dias das suas séries. Por exemplo: através dele eu sei que amanhã, segunda-feira (5 de maio) tem o começo da nona temporada de 24 (horas), The Blacklist e Friends with Better Lives, séries que eu acompanho.

TVShow Time

Existe o site, mas eu uso mais pelo celular como aplicativo. Ele é bem completinho. Quando eu episodio da série que você acompanha está passando ele avisa. Através dele é possível ler sinopse, ler sobre os atores e muitas outras coisas. Também, claro, dá para marcar os que já viu, dar nota e tals.

Espero que gostem das indicações.. Depois me digam o que acharam. Isto fica feliz em ser útil!

01 maio 2014

Os cds de minha vida [Rotaroots]

Sou uma total viciada por música e isso é desde pequena. Como minha mãe nunca foi fã de um estilo de música especifico, cresci ouvindo de tudo um pouco: samba, pagode, rock clássico internacional, bandas nacionais e até orquestras. Além que sempre fui uma espoja musical, observava o que outros ouviam e decidia se gostava daquilo ou não. O que hoje é chamando de mainstream ou modinha, antes era sucesso e 90% da população na época cantavam (e dançavam) as músicas sem medo de ser feliz.

Cada um tem os cds que marcaram suas vidas. Essa foi a ideia do pessoal do Rotaroots. A partir de agora vocês vão ver os que mais me marcaram. 



Lulu Santos: Geração Pop 2 

(Desde que me entendo por gente)

É um dos cds que minha mãe comprou quando eu era muito pequena, ou seja, passei o inicio da minha vida ouvindo-o. Lula Santos sempre foi para mim uma referencia, então, quando eu tinha meus 8 anos para parecer mais madura musicalmente conversava com adultos sobre Lulu Santos. hehe


Sandy & Junior: Todas as Estações - Remixes 

(2001)

Está aí o cd da minha infância! Ouvi ele muitas vezes. É da época que o Junior era o sonho de muita menininha. Este era um cd multimídia, ou seja, ele rodava tanto no rádio como no computador, uma tecnologia de ponta na época. Acho que fiquei no vício de Sandy & Junior até meus 10 anos. Lembram quando teve o show do Maracanã? Eu fiz de tudo para ir, numa maior loucura, mas isso é história para outro dia.


Jota Quest: MTV ao Vivo 

(2004)


Em 2004 eu comecei à dar mais atenção ao pop rock tanto nacional como o internacional. Tanto é que nessa época que conheci Coldplay! *-*
Se não me engano eu pedi esse cd de presente de uma tia, ouvi tanto que ele riscou todo. Pulei muito com as músicas mais animadas, fiquei deprê nas tristes e assim em diante.


Black Eyed Peas: Monkey Business 

(2005)

No inicio da minha adolescência mudei de escola e na minha turma predominava um estilo musical: Hip Hop. Como disse que eu sempre foi uma espoja musical, na época comecei à ouvir muito os hits do estilo da época, porém, o Black Eyed Peas sempre foi o meu preferido. E como uma pré-adolescência que gosta de imitar alguém, minha inspiração era a Fergie. [Não queira ver como eu era na época! hehe] As roupas, os acessórios, tudo, tudo imitando a Fergie. [É sério, que bom que todo Pokemon evolui, não por causa da Fergie, mas que eu copiava de uma maneira bem tosca]
Só sei que eu já dancei quase todas as músicas da banda na frente da escola. Me marcou demais!


Panic! At The Disco: A Fever Can't Sweat Out 

(2006)

Agora o negocio ficou sério! No começo de 2006 conheci uma banda que por muuuuuuuuito tempo foi a minha favorita e até hoje amo demais! Conhece I Write Sins Not a Tragedies? Provavelmente, se você tem mais de 20 anos, deve lembrar. Conheci a banda através do clipe da música na tv aberta e foi amor instantâneo. Ouvi esse álbum zilhões de vezes. Marcou uma época de transição em minha vida, quando me mudei do Rio para Minas. Consegui fazer amizades na época por causa da banda e até hoje isso acontece.


System Of A Down: Mezmerize / The Fray: How To Save A Life (2007)

Dobradinha aqui porque eu não consegui me decidi entre os dois. Dois oposto, não é verdade? 
Mezmerize está aqui porque já existiu uma Talita versão rebelde. hehe Brincadeira. System entrou na minha vida em 2005 por causa de um primo que me apresentou a banda. Ok que eu não ouvia (nem ouço) nada do gênero, mas sempre admirei a banda e sei lá, há alguma coisa na músicas deles que fazem ser totalmente viciantes!
Agora How To Save a Life: Conheci The Fray no final de 2007. Sabe aqueles momentos deprês de adolescência? Então, os meus foi ouvindo The Fray. xD


Panic! At The Disco: Pretty.Odd. /
Coldplay: Viva La Vida Or Death All His Friends
(2008)

Mas um ano que não consegui escolher o álbum mais marcante entre os dois. 
Pretty.Odd. também do Panic! foi o que mais marcou minha vida. Me lembro perfeitamente do dia que ouvi as músicas pela primeira vez. Cada música tem uma recordação especial, seja feliz ou triste. 
Já o Viva La Vida, que nem é o meu favorito do Coldplay, nem foi o que eu conheci a banda, porém o que mais me marcou quando lançou. Me lembro de indica-lo para diversas pessoas, mostrar as pessoas no mp3. Lembro quando a música Viva La Vida estourou, as pessoas lembrava de mim. ♥ 
 Cheguei até a pegar uma mania terrível de só estudar para matemática ouvindo esse álbum. Quando a professora deixava, até a prova eu fazia ouvindo-o. Me deixava mais inteligente. hehehe Tendo poderes sobre a matemática ou não, esse álbum é totalmente inspirador.


The Killers: Hot Fuss 

(2009)

Mas Talita, o Hot Fuss é de 2004. Sim jovem, porem foi em 2009 que mais ouvi ele. Sei lá porque eu me apeguei tanto à ele naquela época (sendo que já conhecia a banda à um tempo). Só sei que ele esteve por milhares de vezes tocando no meu celular. É um álbum totalmente contagiante e foi a melhor trilha sonora para mim naquele ano que foi incrível. O problema é quando contagiava demais e no meu da quadra da escola eu começa a cantar alguma música alto. Não duvidem, eu sou capaz disso. hehe


Young the Giant: Young the Giant 

(2012)

Minha trilha sonora de quando entrei na faculdade. Uma banda madura, não popular, com um som muito gostosinho. Passa uma sensação incrível! E por coincidência, por várias vezes que estava à caminho da faculdade alguma música do álbum tocava quando o celular estava no aleatório.


Two Door Cinema Club: Beacon 

(2014)

Se for para definir um album para mim em 2013/2014 é o Beacon do Two Door Cinema Club. É uma banda que eu me tornei fã na transição da escola para faculdade. Fiz amigos por causa dela. Indiquei para várias pessoas. Já tiveram a experiencia de conhecer a banda bem no comecinho e ver ela crescer? Foi assim. Vi o fandom crescer demais. Sou muito apegada à ela, e esse é um dos motivos.


E aí pessoal? Conhecem algum desses álbuns? E, qual foi o álbum mais marcante para você. Quero saber!
Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo