14 dezembro 2016

Saudades do que não aconteceu

O problema de exigir demais, é que quando encontramos algo que se pareça quase perfeito, queremos para nossas vidas. Queremos mesmo. Sem dúvidas.
As conversas se tornam os melhores momentos do dia. Um "oi" se transforma em sorriso. Ficar assim sorrindo feito boba para um celular. Como se transformar naquelas que sempre não compreendia?
É porque enfim as entendi, mesmo que isso fosse sem explicação. 
Nos descobrimos. Surreal! Parecia ter um espião nos meus pensamentos. Ele respondia todas as minhas perguntas da forma que gostaria que fossem respondidas. Gostos tão parecidos como os meus. Nossas conversas pareciam que durariam a eternidade, se não fosse a maldita rotina que nos atropelava. Todas as indiretas e as que nem eram assim. Nossas discussões sobre o amor.
Cada dia me sentia tão mais próxima...
Mero engano.
Queria achar que estava cada vez mais próxima, mas ele construiu um muro o cercando. Um muro dos sentimentos. Estava ali, esperando, com todos os artefatos para chegar mais perto. Eu, que  antes repente, fui pega de surpresa, sendo que estava confortável estando sozinha. Ele que também pego por surpresa, mas não se decidia, mostrava ser uma incógnita. Tínhamos tudo, mas faltava sua mão para me puxar para dentro do seu casulo. Faltava me puxar para perto. 
Cansei de ficar esperando. Cansada de ficar alerta, esperando o momento que seu portão ia enfim cair.
Mas e agora?
Os eventos que estávamos tão animados. A lista enorme de filmes que você me indicou que ainda preciso terminar de assistir. A nova temporada de Stranger Things. Quando abrir o Spotify e me dar conta que todas minhas bandas favoritas, são também as suas. A maratona da sua série favorita que ainda não terminei. Faço o que?
Como vou lidar com a saudade de algo que quase aconteceu? Porque, se quase aconteceu, não aconteceu. Vou parecer doida por isso?
Não julgo, a vida tem disso, tem essas incertezas... Um dia algo parece ser certo, outro ela já desapareceu. Não somos adolescentes. Não vou culpa-lo por não acontecer. Simplesmente tem vezes que simplesmente não acontecem. E vou seguir meu rumo. Ele, o dele. Vamos nos esbarrar por aí, agora como aqueles amigos que se olham e sabem o que está pensando e depois riem. 

"Mas... você que dizia não entender o porquê a Summer fez aquilo com o Tom... agora entende?"

----

O texto acima é um junção de fatos de pessoais e relatos de outras pessoas. Primeira vez que escrevo nesses moldes por aqui, mas realmente, precisava. E na verdade, quero isso para o blog. Li um post no blog da Michele que fez juntar minha coragem e posta-lo. Obrigada Mih!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo